Skip to main content

Introdução 

Nesse artigo, vamos revelar tudo o que acontece em um processo seletivo típico para Devs. Até o final da leitura, você vai saber como:

  • Se candidatar às vagas certas; 
  • Se portar em testes técnicos, comportamentais e culturais; 
  • Avaliar os valores da empresa e entender se ela é um bom lugar para se trabalhar; 
  • E como negociar em propostas para ter o salário que você merece. 

Então, bora pra leitura? 

O que você precisa saber sobre processos seletivos 

Antes da gente começar, vale ressaltar uma coisa muito importante: não há só um processo seletivo típico para Devs. Logo, as etapas de seleção podem variar bastante. Porém, de acordo com o que mapeamentos na Driven, essas são as etapas que costumam acontecer:

Certamente, a gente gostaria muito que todas as empresas tivessem algo tão padronizado assim. Afinal, seria muito mais fácil escrever esse guia para você… Mas não é bem assim que as coisas acontecem. 

Em alguns processos seletivos para Devs, a ordem das etapas podem ser trocadas. Dessa forma, um teste comportamental pode vir antes do teste técnico. Algumas empresas pulam o teste técnico e partem direto para o comportamental. Outras irão dar menos importância ao teste cultural e mais ao teste técnico. 

Enfim, as probabilidades são muitas e é importante que você saiba se adaptar. Você precisa focar em entender a lógica por trás dos processos de seleção e entender o que recrutadores e gestores procuram em Devs. 

Sem essa de ficar preso(a) a um script de como as coisas deveriam acontecer e sim estar preparado(a) para qualquer desafio. 

Agora, vamos ao que acontece no processo que apelidamos carinhosamente de “bastidores do RH” – as etapas do processo seletivo para Desenvolvedores.

Etapa 1 – Análise de Currículo e Competências

Essa etapa é onde o contato com a empresa acontece pela primeira vez. E ele pode acontecer de duas formas: 

  • Ou você vê a vaga em algum lugar e se candidata; 
  • Ou um tech recruiter entrará em contato com você. 

Quando você não tem tanta experiência como Dev, é mais comum que seja você a se candidatar em plataformas de emprego, como LinkedIn, Gupy, Kenobi e etc. 

Mas independente de ser você ou o tech recruiter a fazer o primeiro contato, o fluxo que, geralmente, acontece nessa etapa é esse abaixo: 

Processo-seletivo-tipico-etapa-de-analise-de-curriculo

Esse é o momento em que existe a análise do currículo e experiências dos candidatos, também é o momento que você e o RH avaliam se a vaga corresponde ao seu perfil. 

Porque se a vaga não tem nada a ver com você e suas experiências, não recomendamos que se candidate. Afinal, é bem capaz que o RH elimine assim que faça a análise do currículo. 

BELEZA. Agora vamos aos pontos que você deve avaliar: 

  • Veja quais tecnologias a vaga está pedindo e o nível de experiência requisitado; 
  • Também analise quais Soft Skills são requeridas para os candidatos, geralmente, elas estão na descrição da vaga também; 
  • Evite “panfletar” currículo e se candidate às vagas que realmente correspondem ao seu perfil, assim, você não irá desperdiçar nem o seu tempo e nem o do recrutador. 

Se tudo isso estiver alinhado, o RH irá marcar uma entrevista para conhecer melhor você, suas pretensões profissionais e salariais. 

Recebendo a aprovação, basta esperar um novo contato para chamarem você para realizar o teste técnico. 

Etapa 2 – Testes Técnicos 

A etapa técnica é onde os recrutadores e gestores verão como você se sai na prática. É quando eles vão “tirar a prova real” da suas competências 一 por isso é bom ser o mais transparente o possível no seu currículo. 

Nessa etapa de um processo seletivo típico para Devs, os recrutadores podem variar no modo como eles aplicam esse teste. Então vamos falar sobre cada um deles agora. 

Processo-seletivo-tipico-etapa-de-teste-tecnicos

Análise Técnica

Em alguns casos, pode rolar só uma análise técnica no seu perfil no GitHub ou portfólio. Se você tiver projetos que correspondem ao que a empresa procura, eventualmente, será aprovado(a) para a próxima etapa. 

Entrevista Técnica e Teste Prático

Também pode haver uma entrevista técnica, em que um CTO, Tech Lead ou Desenvolver Sênior farão perguntas técnicas referentes às tecnologias que eles esperam que você domine. 

Outra alternativa é ter um teste prático onde você terá que fazer um projeto aplicando as técnicas que conhece. Geralmente, as empresas dão alguns dias, ou até semanas, para que você possa fazer esse projeto. 

💡 Esteja preparado(a) para uma combinação de teste prático + entrevista técnica. Em que você faz o teste prático e depois explica para os recrutadores da vaga a lógica por trás do seu código. 

Uma coisa não tão comum, mas que pode acontecer, é que você tenha que realizar uma prova técnica, onde irá responder questões das tecnologias requeridas para a vaga. 

Whiteboarding

E, por fim, pode rolar o tão temido Whiteboarding.

💡 O Whiteboarding também é a junção do teste prático e entrevista técnica, mas com a pequena (e intimidadora) diferença que você terá que codar ao vivo enquanto entrevistadores fazem perguntas. 

Ele vai além do código e além da técnica. A ideia central é que você mostre aos recrutadores como você pensa e soluciona problemas de forma lógica, por isso eles fazem perguntas enquanto você coda. 

O Whiteboarding não costuma ser o método mais adotado, mas também não é raro e, por isso, vale a pena se manter alerta para lidar com ele em alguns processos seletivos. 

A dica para não temer tanto essa fase técnica, seja em qual formato for, é treinar bastante. Treinar MUITO. E refletir sobre como e porquê você toma suas decisões enquanto desenvolve projetos. 

E falando em como você toma decisões, vamos entender melhor como funciona a etapa comportamental para descobrir o que recrutadores esperam de você

Etapa 3 – Teste Comportamental 

“As empresas contratam pelo perfil técnico e demitem pelo comportamental”… 

Essa é uma frase muito comum, especialmente em ambientes de Startups, que mostra o porquê não devemos subestimar a etapa comportamental (Soft Skills) de processos seletivo. 

Alguns Devs acreditam que só a parte técnica importa para entrar em uma empresa e, por isso, costumam se preparar melhor tecnicamente e esquecem de treinar as Soft Skills. Bem, não seria exagero dizer que eles precisam de um “choque de cultura”

choque-de-cultura-em-processos-seletivos-para-Devs

Não existe mais o estereótipo do programador ou programadora sozinhos, trabalhando numa caverna, sem contato com a equipe e somente codando. 

O mundo corporativo se tornou mais dinâmico, diverso e criativo, onde soluções são pensadas e executadas em conjunto. Por isso, o lado comportamental importa tanto para recrutadores. 

Beleza, agora vamos entender como essa etapa de um processo seletivo típico para Devs.

Processo-seletivo-tipico-etapa-comportamental

A parte comportamental se trata de como você lida com o ambiente de trabalho. Por isso, recrutadores costumam avaliar aspectos sobre como: 

  • Você lida com o trabalho em equipe; 
  • Gerencia suas tarefas; 
  • Lida com feedbacks;
  • E sua interação com outras pessoas, no dia a dia.

Claro, as empresas tendem a avaliar os comportamentos que mais importam para a sua cultura. Porém, o que importa é que você tenha em mente que deve treinar o seu lado comportamental, tanto quanto o técnico. 

Afinal, é nessa etapa em que você deve “se vender”. 

É quando você irá mostrar as suas maiores qualidades como pessoa e profissional, ressaltando o que de bom você tem a oferecer para a empresa. 

Agora, vamos focar na última etapa do processo seletivo, a parte cultural.  

Etapa 4 – Teste Cultural

A etapa cultura é crucial para algo que você também deve fazer: avaliar a empresa

Em outras palavras, enquanto os recrutadores estão avaliando se você se encaixa na vaga, é importante que você também avalie se a empresa se encaixa naquilo que você quer

Porém, em primeiro lugar, o que significa a cultura organizacional? 

Basicamente, se trata de um conjunto de valores e propósitos nos quais uma empresa acredita. Por exemplo, no caso da Driven, nosso propósito é ajudar alunos a realizarem os seus sonhos, enquanto ocupam o mercado de tecnologia como profissionais de TI

Por isso, temos valores como a coragem, garra e humildade

Algumas outras empresas terão valores como excelência, foco no cliente, crescimento acelerado, dentre outros. 

Esses valores se refletem no modo como a empresa e colaboradores vão agir no dia a dia de trabalho. Uma Startup que pensa em crescimento acelerado, por exemplo, talvez queira que você dedique mais horas de trabalho às suas tarefas. 

Enquanto uma empresa que preza pela excelência talvez dê flexibilidade de horários para realizar as tarefas com o máximo de qualidade o possível. 

Agora, vamos entender como isso é avaliado no processo seletivo típico para contratação de Desenvolvedores. 

Como você é avaliado nessa etapa

Processo-seletivo-tipico-etapa-cultural

Primeiro, a pessoa responsável por entrevistar você nessa etapa pode ser um gestor ou a galera da sua futura equipe

Eles fazem perguntas um tanto quanto pessoais, para entender como você se comporta diante de algumas situações e, principalmente, entender quais princípios você acredita. 

Uma pergunta simples 一 como “o que você acha de horas extras?” 一 já revela muito sobre a cultura da empresa. Logo, é importante que você seja sincero(a) ao responder tais questionamentos.  

💡 Não tenha medo de fazer perguntas aos entrevistadores para entender a cultura da empresa. Lembre-se que você também está avaliando a empresa. 

Portanto, se você é uma pessoa que está num momento da vida em que o trabalho e crescimento rápido é o foco, uma empresa com o mesmo propósito, pode ser o local mais adequado. 

Agora, se o seu foco é trabalhar em projetos mais específicos como uma empresa focada em educação (então, vem pra Driven!), ou uma empresa do mercado financeiro, dê prioridade às oportunidades desses nichos. 

Ok, concluímos a nossa discussão sobre processo seletivo típico para a contratação de Desenvolvedores… Mas o que vem depois? E se você for aprovado(a)? 

Bem, vamos falar disso agora! 

O que fazer quando a proposta chega? 

Quando a carta de proposta chega no e-mail, o coração até falha uma batida. A felicidade toma conta e você já espalha pra família toda a conquista. 

Porém, é necessário mais prudência do que euforia nesse momento. Porque nem sempre a proposta é condizente com o que você esperava em questões de salário e crescimento profissional. 

Nesse sentido, o autoconhecimento é fundamental. Ou seja, você deve ter bem claro o que quer para a sua carreira. Como falamos em outro post sobre carreira

O seu primeiro emprego é muito importante. Não só porque é o primeiro passo que você dará nesse mercado, mas também porque o seu primeiro salário irá pautar todos os outros. 

Geralmente, Devs recebem a prospecção ativa de vários recrutadores (também conhecidos como tech recruiters). A função deles, de maneira bem direta, é prospectar bons profissionais que já estão empregados em outras empresas. 

E a régua que eles usam para fazer boas propostas é o salário atual. Ou seja, se o seu salário numa empresa é baixo, as propostas posteriores podem não seguir a média do mercado. 

Então, é sempre bom se valorizar e até mesmo rejeitar propostas com condições salariais e oportunidades de crescimento que não são do seu interesse. 

– Guia de Carreira Profissional para o Mercado de Trabalho Tech

E-book gratuito: confira o nosso guia de carreira em tecnologia

Bem, terminamos o artigo por aqui. A ideia é que ele fosse bem completo para, justamente, preparar você para futuros processos seletivos 一 que esperamos que sejam muitos! 

Contudo, se você quiser um panorama ainda mais completo de carreira no mercado de tecnologia, vale a pena baixar o nosso guia exclusivo e gratuito

Pensando em ajudar você a entrar e crescer rápido no nicho tech, criamos um material completo e exclusivo, que vai desde os números do mercado de trabalho em tecnologia a outros detalhes exclusivos sobre processos seletivos para empresas, como neste post. 

E o melhor: esse é um e-book 100% gratuito. Ou seja, você receberá um material didático vindo direto da nossa Formação, sem precisar pagar nada por isso. 

Para LIBERAR o seu acesso gratuito, basta clicar no o botão abaixo: 

Aproveite o E-book e até a próxima! 😉